CHOCO

Caixinha de Toddynho, tomando de canudinho. Garrafinha de vidro de Chocoleite. Caixa longa vida de Choco Milk. Nescau, Ovomaltine, Quick, entre outros. Estas bebidas marcaram a infância de muitos. Período que, muitas vezes, permanece por toda a vida (maneira de dizer, pelos gostos e guloseimas).

Aqui, em Israel, é o saquinho do Choco. Não importa a marca. A mais conhecida é Yotvata, do kibutz de mesmo nome.

Assim como lâminas de barbear viraram “Gillette” e curativo-adesivo, “Band-Aid”, Choco Yotvata é o principal, a referência (na verdade, as pessoas falam apenas Choco). Todo mundo sabe, gosta e toma. Existem as garrafas plásticas de 300 ml, 1 e 2 litros. Não importa. O gosto original é o mesmo.

A concorrente Tnuva investiu em uma imitação de nome Shock. Fez até o saquinho maior e mais barato. Não conseguiu derrubar Yotvata. É forte a identificação.

Há quase dois anos, a Tnuva voltou a carga, trazendo um “Choco” indicando “96% de leite e menos açúcar do que os outros”. Mesmo assim, não levou.

Pior ainda. Provaram ser propaganda enganosa. O produto que realmente tem pouca adição de açúcar e seria o mais “natural” é o “Mu”, da empresa Tara. Reportagem do Canal 2 de televisão fez a comparação. A caixa de litro tem vendido como água.

Com o passar do tempo, as três empresas buscam diversificar. Fora o sabor tradicional, tem o diet, o extra chocolate, milk shake de chocolate branco, banana, tutti fruti com banana, baunilha, moca (chocolate com café), entre outros. Yotvata lança edições especiais, de chocolates daqui, como KifKef (versão israelense do KitKat).

Todas estas linhas buscam alcançar a criança viva, dentro de cada um de nós. Há um mês, Yotvata inovou, mirando o público adulto. Chocolate ao leite com chocolate amargo e Chocolate ao leite com chocolate e café, em garrafas plásticas.

A propaganda é muito a alma do negócio neste caso. Como derrotar o inimigo, se existe certa equivalência em preço e qualidade. Yotvata leva apenas a vantagem de ser o mais antigo e por isso ter construído a marca mais forte.

O desafio permanece. Ganhar o mercado. Fazer a alegria da criançada e tocar a vida.

Dedico o texto aos colegas Bernardo Schanz, que me sugeriu o assunto, e Marcelão Treistman, degustador de Choco estupidamente gelado.

Foto da capa: Any Dana

Links: http://www.yotvata.co.il/articles.php?id=50http://www.yotvata.co.il/articles.php?id=50

http://www.tara.co.il/%D7%98%D7%A8%D7%94/%D7%9E%D7%95%D7%A6%D7%A8%D7%99%D7%9D_%D7%9C%D7%9C%D7%90_%D7%97%D7%95%D7%9E%D7%A8%D7%99%D7%9D_%D7%9E%D7%A9%D7%9E%D7%A8%D7%99%D7%9D/%D7%9E%D7%A9%D7%A7%D7%90%D7%95%D7%AA_%D7%97%D7%9C%D7%91

https://www.tnuva.co.il/products/shoko/

Artigos relacionados

Ver mais artigos

Comentários    ( 8 )

8 Responses to “CHOCO”

  • Rita Burd

    14/08/2015 at 13:32

    Ler o teu texto, Nelson Burd, é tão delicioso quanto saborear um Choco (e eu prefiro da Yotvata).
    Kol haKavod.
    Rita

  • otavio

    14/08/2015 at 17:26

    Cono sempre uma ótima coluna. Partilho do teu gosto pelo choco, tomei muito quando morava aí e irei tomar agora no meu retorno.
    Abraço
    Otávio

  • Marcelo Starec

    14/08/2015 at 22:36

    Oi Nelson,

    Muito legal !…Já fiquei com vontade de tomar o de chocolate amargo – adoro chocolate amargo!…

    Abraço,

    Marcelo.

  • maria lucia

    19/08/2015 at 06:50

    Aaaiiii..fiquei com vontade!!!! Amo ler estes artigos, caros amigos da conexão israel.org!!!! Sempre me sinto como se estivesse aí!!! De verdade!!!

    • Nelson Burd

      19/08/2015 at 11:21

      Senasacional, Maria Lucia. Fico contente em saber. Muito obrigado.