Como se fala “Fidget Spinner” em hebraico?

22/06/2017 | Sociedade
Como se fala "Fidget Spinner" em hebraico?

A Academia da Língua Hebraica é o órgão do Estado de Israel responsável por regular a gramática e a ortografia hebraicas, além de sugerir renovações que dêem novo sentido a palavras do hebraico bíblico e clássico sem uso atual, traduzir termos estrangeiros e criar novas palavras.

No início de maio, como parte de seu constante esforço para manter-se relevante para o público, a Academia sugeriu a professores de hebraico de Israel e do mundo que realizassem um exercício com seus alunos: escolher um nome para o Fidget Spinner no idioma de Haim Nachman Bialik e Gal Gadot. Para o leitor menos antenado com as últimas tendências do mercado de brinquedos, fidget spinner é essa maravilha abaixo:

Centenas de professoras e professores escreveram para a Academia, relatando o sucesso que obtiveram com atividades em suas salas de aula sobre assuntos como renovações de palavras, vida e obra de Eliezer Ben-Yehuda e criação de novos termos. Uma professora de uma escola judaica argentina contou que seus alunos deixaram de sair para o recreio, preferindo encarar um dicionário para encontrar a tradução perfeita. Professores especializados no ensino do idioma para novos imigrantes (olim chadashim) relataram o grande interesse de suas turmas pelo assunto. Debates foram realizados em torno de mesas de jantar, avós e netos se juntaram para juntos redigirem sugestões à Academia.

? Antes de entrarmos a fundo nesta questão de vida ou morte, trago algumas dicas de pronúncia! A língua hebraica não possui o fonema do J, então a letra G é sempre pronunciada como nas palavras “gato” e “gosto”, e nunca como em “gente” e “gigante”. Além disso, o S tem sempre o som de “sapato” e “seriedade”, e nunca o som de “asa” e “uso”, mesmo quando se encontra entre duas vogais. Por fim, nossos leitores mais frequentes já sabem que o CH tem o som do RR (ou do J espanhol) 😉

Agora vamos ao que interessa!

A sugestão mais comum foi sovevan (סוֹבְבָן), seguida de savsevet (סַבְסֶבֶת). Claro, a comparação com o peão (sevivon – סביבון) é inevitável! Outras sugestões baseadas na raiz s-v-v (סב”ב) e em sua derivação ampliada s-v-s-v (סבס”ב) incluíram savevan (סַבְבָן), sivuvon (סִיבוּבוֹן), savsav (סַבְסַב), sivuvit (סִיבוּבִית), masbev (מַסְבֵּב), svivan (סְבִיבָן), mistovevon (מִסְתּוֹבְבוֹן) e sovevuni (סוֹבְבוּנִי). O leitor rapidamente percebe a prevalência do sufixo -on, que indica o diminutivo.

Muitos basearam suas sugestões na palavra meisav (מֵסַב) — rolamento, a parte central do spinner — e sugeriram chamá-lo de mesavon (מסבון). O problema com esta sugestão é que a palavra meisav é derivada da raiz s-v-v (סב”ב), e portanto sua pronúncia correta seria com a letra bet (בּ) com o pontinho no meio, transformando o V em B. O pontinho no meio indica que na verdade o B é uma fusão de dois V. A forma correta de meisavon ficaria então meisabon (מְסַבּוֹן), que soa mais como um produto de banho, já que “mei” é água e “sabon” significa sabão. Outras sugestões baseadas em meisav foram meisabit (מְסַבִּית) e meisavivon (מסביבון).

Meu colega de Conexão Israel Yair Mau exibe sua belíssima língua hebraica em frente à sede da Academia

 

A tradução de spin (“giro”) é sachrir (סַחְרִיר), então muitos basearam suas sugestões na raiz s-ch-r-r (סחר”ר) – a versão ampliada da raiz s-ch-r (סח”ר), que contém o sentido de movimento circular. É desta raiz que vem a palavra scharchoret (סחרחורת), que significa “tontura, vertigem”, por exemplo. Dentre as sugestões baseadas nesta raiz, surgiram sachrar (סַחְרָר), sachrur (סַחְרוּר), sichruron (סִחְרוּרוֹן), sachriran (סַחְרִירָן), sachriron (סַחְרִירוֹן), sachreran (סַחְרְרָן), sachririt (סַחְרִירִית), sichrurit (סִחְרוּרִית), scharcharan (סְחַרְחָרָן) e até mesmo yissachar (יִסָּחָר).

Das raízes similares ch-u-g (חו”ג) e ch-g-g (חג”ג), que trazem o conceito de “círculo”, foram sugeridas as palavras chugon (חוּגוֹן), chugit (חוּגִית), chugan (חוּגָן), chagon (חָגוֹן), chugi (חוּגִי), chagan (חָגָן), chagig (חָגִיג), além de chagit (חַגִּית) e mischag (מִשְׂחָג) – fusão de mischak (משחק – jogo) e chag (חג – círculo). Da raiz g-l-g-l (גלג”ל) – “roda” – sugeriu-se galgalan (גַּלְגַּלָּן), gilgulon (גִּלְגּוּלוֹן), galgilon (גַּלְגִּלּוֹן), gilgal (גִּלְגָּל) e muitos outros.

Algumas pessoas optaram por sugerir nomes mais engraçadinhos, que podem divertir o leitor que entende um pouco mais de hebraico: rav-sav (רב־סב – “multi-giros”, parecido com o nome do passe de ônibus “rav-kav”, ou “multi-linhas”), nishkachon (נִשְׁכָּחוֹן – pois em breve será esquecido), rikuzon (רִכּוּזוֹן – pois ajuda a concentração), issukon (עִסּוּקוֹן – pois as pessoas o usam para ficarem ocupadas), margui’on (מַרְגִּיעֹון – em alusão ao “relaxamento” prometido pela palavra inglesa fidget), zrizon (זְרִיזוֹן) e mehiron (מְהִירוֹן) – pois é veloz – e o mais criativo de todos: kalá (כַּלָּה – uma vez que a noiva dá voltas em torno do noivo na cerimônia do casamento judaico).

Por fim, a Academia da Língua Hebraica agradeceu a todos os participantes, mas esclareceu que, uma vez que Fidget Spinner é o nome próprio do produto, definido pela empresa que o fabrica, não cabe uma intervenção de sua parte para que se chegue a uma tradução “oficial”. Continuamos chamando-o de spinner (ספינר) mesmo. Como expliquei no início, tratava-se apenas de uma excelente oportunidade para a divulgação do conceito da renovação de palavras hebraicas entre os jovens, como comprovado pela grande quantidade de cartas enviadas pelos professores. Fica então a esperança de que um dos nomes sugeridos ganhe popularidade e substitua o termo estrangeiro antes que o brinquedinho saia de moda 🙂

Comentários    ( 0 )

Você é humano? *