Crítica: A Missão do Gerente de Recursos Humanos

22/07/2015 | Cultura e Esporte

The Human Resources Manager* (2010), do diretor diretor israelense Eran Riklis, conta a história de, bom, ele conta a história de uma missão a ser cumprida por um diretor de recursos humanos de uma grande panificadora de Jerusalém e foi o filme inscrito pelo país na categoria de língua estrangeira do último Oscar.

Eran Riklis alcançou certa fama internacional recentemente ao abordar o conflito árabe-israelense tão delicadamente em A Noiva Síria e Lemon Tree, dois filmes imperdíveis. Vê-lo filmando esta adaptação do livro do grande romancista A. B. Yehushua é uma bela mudança de ares, e cria bastante expectativa.

A tal missão é, na verdade, uma campanha de relações públicas da panificadora que, denunciada por descaso na imprensa, designa seu gerente de recursos humanos a levar de volta ao seu país de origem o corpo de uma ex-funcionária, morta em um atentado terrorista no mercado municipal.

O filme junta o drama da personalidade do gerente, seu passado obscuro e suas relações familiares, a uma pitada de comédia em função dos perrengues enfrentados na road trip pelo interior de uma das antigas repúblicas comunistas da Europa Oriental, a neve, a corrupção.

Minha nota: 3/5

* título internacional. Originalmente: Shlihuto Shel Ha-memouneh Al Mashabei Enosh (שליחותו של הממונה על משאבי אנוש).

[youtube=http://www.youtube.com/watch?v=2oIKuJD8BAE]

Publicado originalmente no blog pessoal do autor.

Comentários    ( )

Um comentário para “Crítica: A Missão do Gerente de Recursos Humanos”

  • Marcelo Starec

    22/07/2015 at 17:27

    Oi Claudio,

    Eu concordo inteiramente contigo – gostei muito desses dois filmes: A Noiva Síria e Lemon Tree, Alás, também gosto do A.B. Yehoshua – dois livros excelentes que li dele – Viagem ao Fim do Milênio e A Noiva Libertada ( Não sei se algum desses dois livros virou filme também…). Bom, fico então aguardando para assistir esse novo filme que, só pelo trailer, já me pareceu imperdível também !…Obrigado pela sua interessante dica!…

    Abraços,
    Marcelo.

Você é humano? *