Cuca legal

cabeloanyAjudar o próximo. Na verdade, há várias maneiras. Cada um tem alguma necessidade. “Dar uma mão”. É algo além de grana. Significa identificar o que o outro necessita. Saber ouvir.

Mulheres com câncer, pelo tratamento quimioterápico, sofrem queda de cabelo. Sem dúvida, trata-se de algo traumático, durante esta dura jornada.

Pois, algumas pessoas souberam falar e escutar. Houve sensibilidade.

Um dos caminhos do processo pode ocorrer da seguinte forma: Alguém ouve falar da possibilidade de doar parte de seu cabelo, com intuito de fazer perucas para mulheres que fazem quimioterapia. Procuram na internet locais, onde podem realizar doações. Normalmente, são salões de beleza, cabeleireiros voluntários. O corte mínimo é de 30 centímetros.

Na minha cidade, Ramat Gan, ao lado de Tel Aviv, o ponto fica no Shopping Marom, bairro Marom Nave. O salão Roy Mizrahi marca horário e recebe os doadores com todo o carinho. Depois de cortar o pedaço necessário, aparam e ajeitam o cabelo, gratuitamente.

Terminado o serviço, entregam um envelope, já selado, para despachar a trança pelo correio, que fica em frente. Duas semanas depois, a cidadã Any Dana (foto da capa), minha noiva, foi agraciada com este diploma.
anydiploma

Conheço outras pessoas que já fizeram esta bela ação. É simples. Entra no google.com, faça busca e descubra como ajudar. Existem locais de coleta no mundo inteiro. Homens e mulheres, de todas as idades, estão convidados.

Momento do corte, com a trança de 30 centímetros.
Momento do corte, com a trança de 30 centímetros.

Artigos relacionados

Ver mais artigos

Comentários    ( 2 )

2 comentários para “Cuca legal”

  • Marcelo Starec

    11/07/2015 at 06:04

    Oi Nelson,

    Que legal isso!…Tenho a impressão, pelo que conheço, que a sociedade israelense é em geral bastante solidária…Esse é um belo exemplo a ser seguido!…..

    Abraços,

    Marcelo.

    • Nelson Burd

      11/07/2015 at 09:56

      Existe muita solidariedade, ajudas, em geral. Por exemplo, em épocas de festas, como Pessach e Rosh Hashaná, sempre perguntam se tens onde passar o seder. Isto, muitas vezes, pessoas da rua, que mal conheces. São ajudas que vão além da grana. É algo afetivo. Abraço.

Você é humano? *