Curtinhas – Julho 2013

05/07/2013 | Curtinhas.

E agora, Tzipi?

Post de Tzipi Livni no Facebook (29/07, 00:12)
Post de Tzipi Livni no Facebook (29/07, 00:12)

Abaixo traduzo post da Ministra da Justiça e responsável pelas negociações com os palestinos, Tzipi Livni. A caminho dos Estados Unidos, Livni parece estar receosa sobre o que irá encontrar do outro lado da mesa de negociações. Hoje, em reunião de gabinete de ministros, foi aprovada a libertação de 104 prisioneiros palestinos, entre eles alguns envolvidos diretamente com atentados terroristas. E você, o que acha sobre a renovação das conversações de paz?

“Meia noite. No Aeroporto Ben Gurion eu espero pelo vôo a Washington para abrir, pela primeira vez depois de anos de estagnação política, as negociações com os palestinos. Eu viajo com uma pesada sensação de responsabilidade mas também com esperança. Essa é a mesma esperança que não poucos tentam suprimir e sufocar em tantas palavras e profecias negras. É a mesma esperança que é direito de todo ser humano, e de todo povo ao seu futuro. É certo que é uma esperança contida e sóbria – não um Oriente Médio novo e não um amanhecer de um novo dia, mas sim um progresso correto em uma região complicada. O caminho das negociações é a maneira de preservar interesses (i)de segurança israelense, e (ii) do estado judeu-democrático, e assim o farei.”

 Escrito por David John Gruberger


Fox em Ramallah

Há algum tempo ouvi a seguinte piada:

– Um árabe e um judeu chegaram a um acordo. Quem saiu perdendo?
– Certamente, o governo!

Recentemente foi anunciado que a cadeia de lojas de roupas “Fox” vai abrir sua primeira filial na Cisjordânia, controlada pela Autoridade Palestina na cidade de Ramallah. A nova loja será uma franquia gerida por um proprietário local e vai vender roupas para mulheres, homens e crianças. 

Um grande outdoor em Ramallah anuncia o novo ponto de comércio de roupas na cidade. 

Em abril, o fundador e CEO da Fox, Harel Wizel, apresentou o plano de expansão da cadeia, mas ninguém esperava que incluiria a abertura de uma loja na Cisjordânia. 

O anseio pela expansão manifestado pelos diretores da Fox, se encaixou como uma luva com o crescimento de poder aquisitivo nesta região e o desejo dos investidores palestinos em abrir novas empresas, particularmente aquelas que representam marcas estrangeiras (muito requisitadas), em Ramallah. 

Israel - ConexaoIsrael - Fox em Ramallah

Shimon Peres já demonstrou em algumas oportunidades a sua convicção de que a livre-iniciativa, acompanhada de prosperidade econômica na região, poderá levar a uma justa distribuição de prosperidade e, como consequência, nos trará uma estabilidade política em um local marcado por um conflito profundo e de difícil resolução. 

 Se Shimon Peres estiver certo, a iniciativa citada acima, pode contribuir para  mudarmos um pouco o final daquela piada do início do texto. Quem sabe, contribuiremos também para alterar o final de uma longa história de guerras, terrorismo e supressão de direitos.

– Um árabe e um judeu chegaram a um acordo. Quem saiu perdendo?
– A Intolerância de ambos os lados.

Escrito por Marcelo treistman

Foto:  Nir Kafri


E voltam as negociações de paz

John_Kerry_headshot_with_US_flagNesta sexta-feira, 19 de julho, o Secretário de Estado norte-americano John Kerry (foto) anunciou a volta das negociações de paz entre Israel e a Autoridade Nacional Palestina (ANP). Aparentemente o representante dos EUA será o mediador nos primeiros encontros, que deverão contar, também, com Tzipi Livni (HaTnua), Ministra da Justiça e representante israelense para assuntos estratégicos , e Saeb Ekrat, representante da ANP por negociações com Israel.

As negociações estão emperradas desde 2010, quando o ex-enviado de Obama, George Michel, especialista em assuntos relacionados a Oriente Médio, conseguiu, ainda que sem sucesso, juntar o Primeiro Ministro israelense Binyamin (Bibi) Netanyahu e o Presidente da ANP Mahmmoud Abbas em uma sala de negociações. De lá para cá, Abbas alega que não negociará com Israel até que o país cesse as construções do outro lado da linha verde. Bibi, por sua vez, afirma que não aceita pré-condições para que as negociações sejam retomadas.

John Kerry parece ter domado os dois, após meses de muita insistência. Aparentemente o atual Secretário de Estado já deu um passo bem maior que sua antecessora, Hillary Clinton, e obteve mais sucesso, inclusive, do que o Presidente Obama. Resta saber se ele simplesmente se igualará a George Michel ou conseguirá progredir significativamente.

Escrito por João K. Miragaya.

Foto retirada do site:

 https://upload.wikimedia.org/wikipedia/commons/7/7d/John_Kerry_headshot_with_US_flag.jpg


Macabíadas Mundiais

MacaAcontece neste momento a Abertura dos XVIV Jogos Macabeus Mundiais em Israel. O evento esportivo é o maior de todos os tempos, contando com cerca de 9 mil atletas de 78 diferentes países, de todos os continentes. Serão no total 42 diferentes modalidades divididas por categorias de idade.

Nos próximos dias, divulgaremos alguns dos principais resultados nas principais modalidades do evento!

Boa sorte aos atletas!!

Escrito por Bernardo K. Schanz


O boicote europeu 

No dia 16 de julho a União Européia oficializou um boicote oficial à colonização israelense: a organização proíbe a ajuda financeira e cooperação a instituições israelenses instaladas em assentamentos judaicos na Cisjordânia, em Jerusalém Oriental e no Golã. A organização alegou ser ilegal qualquer tentativa de expansão do Estado de Israel alem da Linha Verde sem que haja um acordo bilateral com os palestinos.

A atitude foi recebida de forma crítica pelo governo israelense. O premier Bibi Netanyahu afirmou que nenhuma decisão externa alterará a agenda do governo, que não admite intromissões em assuntos internos. E disparou contra os europeus: “A União Européia erra quando da mais atenção a questões de marketing ao invés de preocupar-se com problemas reais, como a guerra civil na Síria, a instabilidade egípcia e a corrida atômica iraniana”. O Ministro da Economia Naftali Bennet (HaBait HaYehudi) faz coro: “Agora certamente as negociações por paz serão brecadas”.

A iniciativa européia, no entanto, não recebeu adesão completa do lado palestino. Representantes da Autoridade Palestina temem que o enfraquecimento econômico dos assentamentos afete a economia local, altamente dependente das colônias. Polêmicas à parte, aparentemente a União Européia faz valer sua ameaça em voga desde fevereiro. Resta ver no que vai dar.

Escrito por João K. Miragaya


Herodes, O Grande

Nesta semana fui com a equipe com a qual trabalho visitar a Exposição Herodes O Grande, em cartaz no Museu de Israel (localizado em Jerusalém) desde fevereiro. Na semana anterior à minha visita a exposição havia chegado ao seu visitante de número 200 mil, o que nos mostra o quão bem sucedida está sendo. Blocos de mais de 30 toneladas foram levados às salas do museu, como, por exemplo, os que compõem o segundo andar do Mausoléu onde estão enterrados parentes do antigo rei da Judeia. Diversas peças arqueológicas, informações históricas, línhas do tempo e animações computadorizadas que reconstruem as principais obras de Herodes completam a exposição.

Herod_the_GreatHerodes foi declarado rei da província da Judeia por Antônio, e ficara marcado por sua personalidade complexa: assassino de familiares e crianças, perseguidor de fariseus, amigo dos essênios e construtor megalomaníaco. Esta última de suas características se faz provar em alguns sítios arqueológicos, como a cidade de Cesareia, o palácio Herodeon (na Cisjordânia) e a fortaleza de Massada.

Se você, leitor, vier a Israel até outubro deste ano, a visita à exposição é recomendada. Pelo menos por mim.

Escrito por João K. Miragaya

Foto retirada do site http://www.archaiologia.gr/wp-content/uploads/2013/02/Herod_the_Great.jpg


As Ciências da Alma

Os cortes no orçamento do governo israelense afetam praticamente todas as áreas. No sistema de educação superior, foi afetada até mesmo a Universidade Hebraica de Jerusalém, a menina dos olhos do país, considerada uma das cem melhores universidades do mundo.

Estudantes, professores e funcionários protestaram juntos contra a redução no número de cursos disponíveis na Faculdade de Ciências Humanas para o ano letivo de 5774 (2013-2014).

humanasNa foto ao lado, vemos um mural de protestos. Além de colagens envolvendo políticos, pode-se observar o barco das Ciências Humanas afundando e um cartaz contendo um trocadilho. Em volta do rosto triste, está escrito Matzav haRuach (estado de espírito, em hebraico), uma brincadeira com as Ciências do Espirito ou Ciências da Alma – como são chamadas as Humanas em hebraico.

Escrito por Claudio Daylac

 

 

Comentários    ( 2 )

2 Responses to “Curtinhas – Julho 2013”

  • Mario Silvio

    07/07/2013 at 16:01

    Não sei como são as coisas por aí, mas no Brasil existe uma hipertrofia do setor de Humanas em detrimento das Exatas. Temos uma carência terrível de engenheiros, professores de física, química e matemática e técnicos em geral.

  • Rafael Stern

    25/07/2013 at 05:22

    Não me parece coerente os europeus incluírem o Golan no boicote, se o objetivo é pressionar pelas negociações e paz com os palestinos, uma vez que o Golan não tem nada a ver com os palestinos. É um problema com a Síria, que parece estar tendo problemas maiores por enquanto…

Você é humano? *