Estudando em tempos de paz e de guerra

Minha esposa (Liat) é professora de artes em uma escola de ensino fundamental que fica numa cidade meia hora de carro ao norte de Beer Sheva. Compartilho com vocês um projeto super legal aqui de Israel, que introduz computadores e internet como ferramentas de ensino.

O nome do projeto pode ser traduzido como “Aprendizado a distância usando a computação no século 21”. Cada professora da escola tem um laptop no qual prepara suas aulas e pode passar parte do conteúdo usando um projetor na própria sala de aula. Usos comuns são vídeos, imagens, sites de interesse, músicas, gráficos, etc. As professoras tem um site onde anotam o tema da aula e a lição de casa a se fazer, e dados sobre os alunos como presença, comportamento e se trouxeram os devidos materiais à aula.

Todos os alunos tem senhas para entrar no site da classe, onde podem acompanhar qual é a lição de casa a ser feita, participar de um fórum aberto de todos os alunos de sua classe com a professora, ou se quiserem podem mandar mensagens pessoais para a professora (professor homem não tem, uso mesmo o feminino). Nesse site da classe a professora tem a opção de fazer upload de trabalhos de casa e os alunos podem entregar trabalhos feitos de volta. Os pais dos alunos podem entrar no site e acompanhar o que se passa na classe.

Há um mês houve um treinamento nacional de “estudos em tempos de emergência”. Os alunos foram mandados de volta para casa um pouco mais cedo que o normal e tinham que fazer uma lição que a professora havia posto no site da classe. Esse treinamento simulava como seria o contato entre professora e alunos quando as aulas são canceladas por motivos de segurança. Muito convenientemente (obrigado, Hamas) estamos em tempos de guerra, e todas as crianças do sul de Israel estão em casa. Obviamente o conteúdo que se aprende em um dia normal de escola não pode ser passado de forma virtual, mas isso ajuda a manter os alunos ainda conectados com a escola, e faz com que não esqueçam muito do que foi aprendido caso a permanência em casa seja prolongada, como parece ser o caso agora. Um outro benefício é que os alunos mantem contato entre si via o fórum e recebem apoio da professora, figura central do seu cotidiano.

O projeto é bastante mais amplo do que contei nas linhas acima, e me parece uma ferramenta excelente para os dias de hoje. Claro que a internet não garante em nada que a experiência de aprendizado do aluno seja mais “moderna”. Muitas das professoras tem acima de 40 anos, e para elas a internet não é o mesmo que para os jovens. Uma professora que trabalha com minha esposa se vangloriou em contar que tocou em classe um video do youtube com uma poesia que estava ensinando em classe (uau, realmente revolucionário). Já a professora de inglês sabe usar bem melhor a internet, e faz questionários do Google Forms para os alunos responderem em casa, e recebe as respostas da lição de casa em uma planilha antes mesmo da aula seguinte começar.

Abaixo um video que exprime bem os desafios do uso da tecnologia em classe:

Artigos relacionados

Ver mais artigos

Comentários    ( 0 )

Você é humano? *