Habemus Governo!

17/03/2013 | Eleições; Política

A coincidência de datas tornou a frase acima onipresente na imprensa israelense nos últimos dias, mas a verdade é que, passados quase dois meses das eleições, temos um governo!

Após receber duas semanas adicionais às quatro que haviam sido concedidas pelo Presidente do Estado Shimon Peres, Benjamin Netanyahu juntou HaTnuá, HaBait HaYehudi e Yesh Atid à sua coligação (HaLikudIsrael Beiteinu) e formou um governo com 68 deputados, que deve ser oficialmente anunciado e aprovado pela Knesset nesta segunda-feira.

A divisão dos cargos:

Pasta Ministro Partido
Primeiro-Ministro Benjamin Netanyahu Likud
Relações Exteriores [ref]O Ministério das Relações Exteriores está sendo guardado para Avigdor Lieberman, líder do Israel Beiteinu. Enquanto sua situação perante a justiça não for definida, a pasta será acumulada pelo primeiro-ministro.[/ref]
Agricultura e Desenv. Rural Yair Shamir Israel Beiteinu
Comunicações Gilad Erdan Likud
Defesa Civil
Cultura e Esporte Limor Livnat Likud
Defesa Moshe “Bogie” Yaalon Likud
Educação Shai Piron Yesh Atid
Meio-Ambiente Amir Peretz HaTnuá
Turismo Uzi Landau Israel Beiteinu
Energia e Água Silvan Shalom Likud
Fazenda Yair Lapid Yesh Atid
Saúde Yael German Yesh Atid
Construção e Habitação Uri Ariel HaBait HaYehudi
Imigração e Absorção Sofa Landver Israel Beiteinu
Indústria, Comércio e Emprego Naftali Bennet HaBait HaYehudi
Serviços Religiosos
Jerusalém e Diáspora
Interior Gideon Saar Likud
Justiça Tzipi Livni HaTnuá
Idosos Uri Orbakh HaBait HaYehudi
Segurança Pública Yitzhak Aharonovitch Israel Beiteinu
Ciência e Tecnologia Yaakov Peri Yesh Atid
Relações Internacionais Yuval Steinitz Likud
Transporte e Infraestrutura Israel Katz Likud
Bem-estar Social Meir Cohen Yesh Atid

 

No sistema parlamentarista, o Governo é formado através da aprovação de uma lei com indicações para o ministério, além de objetivos e políticas. Estas devem ser as diretrizes aprovadas pela Knesset para o 33o Governo de Israel:

  • O povo judeu tem um direito incontestável a um Estado soberano na Terra de Israel, sua pátria nacional e histórica;
  • Israel buscará um acordo de paz com os palestinos, com o objetivo de chegar a um acerto política que dê fim ao conflito. Se tal acordo for alcançado, deverá ser aprovado pelo governo e pela Knesset e, se necessário for, por um referendo;
  • O governo atuará ativamente para fortificar a segurança nacional e garantir a segurança pessoal de seus cidadãos, através de um esforço firme e decidido contra a violência e o terror;
  • O governo avançará os processos políticos de paz com todos os países vizinhos, dentro dos interesses de segurança, históricos e nacionais de Israel;
  • O governo protegerá o caráter judaico do Estado e o legado de Israel e também honrará as religiões e tradições dos demais cidadãos do Estado de Israel, de acordo com os valores da Declaração de Independência;
  • O governo atuará pela redução do custo de vida, através de todos os meios a seu alcance, entre eles: aumenta da livre-concorrência e redução da concentração setorial e econômica;
  • O governo atuará para conceder a todos os meninos e as meninas israelenses ampla instrução, que os capacitará para encarar os desafios do mundo moderno e conduzir suas vidas com honra;
  • O governo dará alta prioridade aos temas de educação básica e superior;
  • O governo atuará pela ampliação da igualdade na divisão do fardo, para que todos os setores da população israelenses carreguem o fardo através do serviço nacional, seja militar ou civil;
  • O governo atuará para fortalecer o Estado de Direito e proteger a posição da Suprema Corte;
  • O governo atuará, através de todos os meios a seu alcance, para reduzir os custos da habitação;
  • O governo atuará pela criação de meio econômicos que permitam desenvolvimento sustentável, redução do custo de vida e criação e proteção de vagas de emprego;
  • O governo buscará a justiça social através da redução das diferenças sociais, da luta intransigente contra a pobreza, utilizando-se, entre outros meios, a educação, o emprego e soluções de habitação;
  • O governo estabelecerá como objetivo nacional o desenvolvimento da periferia geográfica e social de Israel, oferecendo variados serviços com o objetivo de estabelecer igualdade de oportunidades entre todos os cidadãos, independentemente de onde vivam ou de sua classe sócio-econômica;
  • O governo atuará por alterações no sistema de governo, para aumentar a governabilidade e a estabilidade;
  • O governo levantará o tema da Imigração (Aliá) e da Absorção, dando prioridade e atuará decididamente pelo aumento da Aliá de todos os países do mundo;
  • O governo atuará pela proteção da qualidade ambiental em Israel, e para melhorar a qualidade de vida dos seus cidadãos;
  • O governo atuará pelo melhoria dos serviços religiosos através da adequação à diversidade populacional;
  • O governo atuará pelo aumento na familiarização de seus cidadãos com as fontes judaicas e seu legado.

 

Imagem de capa: http://www.haaretz.co.il/st/inter/Hheb/images/VTR123.jpg

Comentários    ( 5 )

5 comentários para “Habemus Governo!”

  • Flavio Stoliar

    17/03/2013 at 18:44

    ARREBENTOU!
    Como sempre…
    !!!PARABENS!!!

    • Claudio Daylac

      17/03/2013 at 19:50

      Flávio!

      Obrigado por mais uma visita!

      Um abraço saudoso.

  • Paulinho

    21/03/2013 at 20:48

    Boa Claudio! Muito bom!
    Sendo breve, pelo que da para perceber, o governo não vai avançar em nada no processo de paz. Ta tudo na mão do HaBait HaYehudi, Likud e Israel Beiteinu. Mas o Yesh Atid parece assumir grande responsabilidade na área social e aconômica, esta última, dividindo com o Likud. Ao HaTnuá, restaram dois ministérios que, apesar de parecerem importantes, não sei quanta relevância terão no governo.
    Sei que é pedir demais, mas seria interessante se você discutisse também o peso dos ministérios!
    Grande abraço

    • Claudio Daylac

      22/03/2013 at 00:19

      Paulinho,

      Obrigado por mais uma visita!

      A sua leitura é precisa e a análise mais aprofundada virá no meu próximo artigo, que está me dando um trabalho hercúleo.

      Mas uma coisa é certa: existem os ministérios que no Brasil seriam o “primeiro escalão”, aqui são sempre Fazenda, Relações Exteriores e Defesa. E existem uns ministérios que nunca têm grande destaque, ainda que tratem de assuntos delicados: idosos, meio-ambiente, etc. E existem uma série de ministérios que desempenham papéis importantes, como Habitação e Interior, onde os partidos médios acabam conseguindo atingir grande parte de seus objetivos e agradar seu eleitorado.

      Um grande abraço!

    • Mario Silvio

      22/03/2013 at 16:47

      ” o governo não vai avançar em nada no processo de paz. ”
      As lideranças palestinas, que nunca se interessaram por ele, agradecem.

Você é humano? *