Imortal Coincidência

Yisrael Kristal nasceu na Polônia. Exatamente durante o fim do verão. 15 de setembro de 1903.

Nesta mesma data, a banda meridional do hemisfério sul via a fundação do Grêmio Football Portoalegrense. Cândido da Silva, o dono da primeira bola do clube, realizava um sonho, através da partida, contra o Fussball, hoje extinto. Vieram muitos campeonatos a disputar, títulos conquistados, dentre eles, o mundial de 1983 e, dele, nada pode ser maior.

Kristal, aos 40 anos, era casado, pai de dois filhos. A barbárie nazista os vitimou, assim como quase todos judeus poloneses. De 3,35 milhões, participam da comunidade atualmente apenas 3,5 mil. No entanto, acreditam que o número pode superar 30 mil.

Yisrael passou pelo campo de concentração de Auschwitz, sobreviveu, imigrou a Israel e chegou a Haifa, onde mora até hoje. O bairro Ahuza fica na parte alta da cidade, é arborizado e tem vista para o mar Mediterrâneo. Casou-se novamente, constituiu família e seguiu o mesmo ofício realizado na Europa. Era doceiro.

15 de setembro de 2015. O Grêmio completa 112 de glórias em Porto Alegre. Haifa presencia mais um aniversário de Yisrael Kristal.

O Guiness Book, então, aponta a possibilidade de Kristal ser o atual homem mais velho. A notícia corre o mundo. Em Porto Alegre, o jornalista Léo Gerchmann foi a primeira pessoa que se deu conta da coincidência de datas. “Yisrael Kristal e o Grêmio são gêmeos. Nasceram exatamente no mesmo dia”.

O Léo me contatou, eu telefonei para o serviço de informações e consegui o telefone da senhora Shula, filha de Yisrael. Expliquei a coincidência e minha missão. Haveria de entregar uma camisa oficial e personalizada. Beto Carvalho, do marketing gremista, já havia despachado pelo correio.

Meu colega de Conexão Israel e gremistão, Bernardo Schanz, foi acionado e exerceu função primordial no encontro. Fotografou e explicou ao Yisrael quem éramos e o que estava acontecendo.

Reproduzo minhas palavras dadas ao blog do Léo Gerchmann, em Zero Hora:

“Foi emocionante, ele ficou muito feliz. Yisrael Kristal não sabia que nós íamos até lá. A filha dele preferiu não contar, pois ele ficaria ansioso, na espera. Ele usa aparelho auditivo, precisou colocá-lo para falar com a gente. Contamos sobre o Grêmio, a coincidência, tudo. Ele ficou radiante, foi uma sensação muito legal. Ele fala hebraico e yidishe, a primeira língua dele, que é como ele se comunica com a filha. A imortal coincidência comoveu a todos nós. Ele ria e chorava ao mesmo tempo. Dizia: é o meu aniversário. é a minha data na camisa”.

Ter sobrevivido ao Holocausto, depois de passar por Auschwitz, já é algo tremendo. Reconstruir uma família em Israel, uma benção. Chegar aos 112 com lucidez, mais que um presente divino.

Eu, o Bernardão, o Léo, como gremistas e judeus, ficamos realmente felizes em participar desta história. Até os 120 (e muito mais), se Deus quiser, seu Yisrael. O senhor é incrível. Honrados somos de presenciar esta “Imortal Coincidência”.

Foto: Bernardo Schanz. fotogremio

Artigos relacionados

Ver mais artigos

Comentários    ( 6 )

6 comentários para “Imortal Coincidência”

  • Marcelo Starec

    19/03/2016 at 21:41

    Oi Nelson,

    Adorei o seu artigo!…Que coincidência impressionante!…O sr. Yisrael já passou por tanta coisa na vida e teve tantas bençãos que mais essa coincidência é algo de fato impressionante!…(Se ele não joga, acho que ele devia também jogar na Loto…rs)…Até os 120 se D”S quiser!!!….

    Abraço,

    Marcelo.

    • Nelson Burd

      19/03/2016 at 21:51

      Obrigado, Marcelo. De fato, uma história incrível. Foi uma honra participar. Abraço.

  • Carlos A Finger

    21/03/2016 at 05:10

    Alô Nelson! Além de apreciar sua participação na Hora Israelita, você nos trás esta preciosidade: descobrir esta incrível coincidência, e tornar alguém feliz! Parabéns! Quanto ao timão azul, neste domingo chegamos ao topo! Só resta dizer: todah rabah!

    • Nelson Burd

      21/03/2016 at 17:29

      Obrigado, Carlos. Fui o portador da camisa e fiz a entrega, junto com o Bernardo Schanz. O descobridor da coincidência foi Leo Gerchamann. Abraço.

  • Pedrão

    29/04/2016 at 22:38

    Nelsinho, parabéns pelo artigo e pela iniciativa da equipe! Sensacional!

Você é humano? *