Logo logo eu mostro (Menorá)

01/03/2017 | Cultura e Esporte

Os símbolos do Estado Judeu são baseados em dois ícones. No artigo passado tratei da Estrela de David. Hoje é hora da Menorá, ou candelabro de sete braços.

Na época do antigo templo em Jerusalém, havia ali um enorme candelabro de sete braços. Menorá (מְנוֹרָה) vem da raiz Nur (נוּר), que significa fogo em aramaico, e luz em árabe. O emblema do Estado de Israel tem a imagem da Menorá, e tem o mesmo design da Menorá tomada pelos romanos com a destruição de Jerusalém em 70 EC, eternalizada no Portão de Tito, em Roma.

O logo do Mossad também tem o desenho desta mesma Menorá. Aliás, Mossad significa em hebraico “instituto”, e seu nome completo é Instituto de Inteligência e de Tarefas Especiais (HaMossad leModiin uleTafkidim Meyuchadim = הַמּוֹסָד לְמּוֹדִיעִין וּלְתַּפְקִידִים מְיֻחָדִים). Seu emblema tem um versículo bíblico: Por falta de direção cai um povo; onde há muitos conselheiros, ali haverá salvação (Provérbios 11:14).

Outro que tem “mossad” no nome é o Instituto de Segurança Nacional (haMossad leVituach Leumi = המוסד לביטוח לאומי‎‎), análogo ao INSS no Brasil. Seu logo entrelaça os braços da Menorá, e me faz lembrar de uma chalá. Do lado esquerdo temos o símbolo novo, e do lado direito o antigo. Já que mudaram, poderiam ter feito um serviço melhor, não?

A Autoridade de Radiodifusão (Rashut haShidur = רשות השידור) é a responsável pelas estações de rádio e de televisão estatais. Acho excepcional a mistura da Menorá com as ondas de rádio emitidas pela antena. À esquerda o logo da Autoridade de Radiodifusão, e à direita o logo do Canal 1 de televisão, controlado pela autoridade, e com linguagem visual combinando.

O Ministério da Defesa (Misrad haBitachon = מִשְׂרַד הַבִּטָּחוֹן) tem um símbolo forte, imponente. Me lembra um portão fechado: “daqui ninguém passa”.

O Ministério da Agricultura e do Desenvolvimento do Campo (Misrad haChaklaut uFituach haKfar = משרד החקלאות ופיתוח הכפר) transforma a Menorá numa planta germinando. Solução criativa e elegante, na minha opinião.

O Ministério dos Transportes e da Segurança das Vias (não encontrei tradução melhor… Misrad haTachbura vehaBetichut baDrachim = משרד התחבורה והבטיחות בדרכים) cortou a Menorá ao meio, e os três braços que sobraram viraram estradas.

Acabou que o logo da Autoridade de Água (Rashut haMaim = רשות המים), responsável pela água e esgotos, ficou muito parecido com o logo do Ministério dos Transportes. Parece que não há tantos jeitos de se dividir uma Menorá, pelo visto.

O Banco de Israel (Bank Israel = בנק ישראל) tem o logo baseado em uma moeda de prutá do ano 37 AEC, emitida durante o reinado de Antigonus II Mattathias, último rei Hasmoneu de Judá, morto por ordem de Herodes. Eu já falei extensivamente a respeito desta moeda, e de todas as outras moedas que estão hoje em circulação de Israel, vale a pena conferir. Quem tiver acesso a uma moeda de 10 centavos de Shekel Novo vai ver esta mesma Menorá do logo do banco central de Israel.

A Autoridade de Antiguidades (Rashut haAtikot = רשות העתיקות) é responsável pelos trabalhos arqueológicos em Israel. Não faltam exemplos de Menorot (plural de Menorá) antigas aqui na Terra de Israel, havia incontáveis possibilidades de logo. Acabou-se por escolher o mesmo desenho de uma Menorá gravada em pedra, encontrada em uma sinagoga antiga. Na época que fizeram o logo, não se sabia o que eram os dois círculos da parte de baixo do logo, mas eles foram copiados assim mesmo. Hoje sabe-se que eles representam as pontas do pergaminho da Torá, enrolado em cilindros de madeira.

O Fundo Nacional de Israel (Keren Kayemet leIsrael = קרן קימת לישראל) inicialmente era um fundo para comprar terras na Palestina do Império Otomano e do Mandato Britânico. Com a independência de Israel, o fundo mudou de objetivo, e hoje visa o desenvolvimento dos muitos terrenos que ainda controla, mais famosamente por meio do reflorestamento. Não é surpresa que, mais uma vez, a Menorá virou uma árvore.

O museu de memória do holocausto Yad vaShem (יָד וָשֵׁם) fez uma Menorá com seis braços, representando os seis milhões de judeus mortos no holocausto.

Para fechar o artigo, seguramente o símbolo mais feio de hoje. Trata-se do Serviço de Segurança Geral (Sherut haBitachon haKlali = שירות הביטחון הכללי), conhecido em Israel pela sua sigla שב״כ, pronunciado Shabak. Logo após sua fundação, era chamado de Shin-Bet (as duas primeiras letras, em vez de todas as três), e ele ainda é conhecido assim fora de Israel. O Shabak é responsável de defender o país de espionagem, subversão interna, e de terror. Todos estes objetivos importantíssimos. Parece que não sobrou um pingo de esforço para fazerem um logo bonito, e ficou isto aí. No logo do Shabak está escrito Magen veLo Yera’e (מגן ולא יראה), ou seja, “protege e não é visto”, parafraseando a profetiza Débora (Juízes 5:8). Melhor não ver mesmo.

No artigo anterior vimos os símbolos do Estado baseados no Escudo de David. No próximo veremos símbolos variados, que não são baseados nem na Menorá, nem do Escudo de David. Até a próxima.

Comentários    ( 0 )

Comments are closed.