Naftali Bennett X Movimento “Paz Agora” – Debate em Vídeo

09/01/2013 | Eleições; Política

Como parte de nossa cobertura das eleições israelenses de 2013, ConexaoIsrael.org legendou dois vídeos  produzidos recentemente que ilustram a clássica discussão entre a direita e a esquerda no país.

Naftali Bennet x Paz Agora

O primeiro vídeo que vocês assistirão abaixo foi produzido pelos partidos HaBait HaYehudi-Ichud HaLeumi (Casa Judaica e União Nacional), que concorrem coligados nestas eleições em Israel e estão em processo de fusão. O HaBait HaYehudi é uma coligação composta por partidos da conhecida direita religiosa (como o antigo Mafdal, partido nacionalista religioso) e o Ichud HaLeumi, outra coligação de partidos composta por segmentos da direita ultranacionalista, colonos e religiosos.

Clique aqui, para saber mais sobre a coligação.

Estes dois partidos da direita ultranacionalista hoje ocupam juntos sete assentos na Knesset. As pesquisas de opinião, no entanto, sugerem que esta coligação seja a grande sensação das eleições israelenses alcançando entre 12 e 17 mandatos e formando o terceiro maior bloco do parlamento. São três os principais motivos pelos quais a coligação HaBait HaYehudi-Ichud HaLeumi tem feito tanto sucesso: as fortes acusações de corrupção a Avigdor Libermann, o mais badalado político da direita ultranacionalista israelense, que transferiu parte dos votos da direita laica ao bloco religioso; o cessar-fogo assinado por Netanyahu com o Hamas, que deixou insatisfeito boa parte do eleitorado do Likud que exigia uma operação mais intensa (antes da Operação Pilar Defensivo e das acusações a Libermann, o bloco aparecia com 8-9 assentos nas pesquisas); e, por último, a figura de Naftali Bennet, nova cara na política israelense.

Bennet foi a personalidade política que mais se aproveitou da Operação Pilar Defensivo (contra o grupo fundamentalista islâmico Hamas), tornando-se muito mais conhecido. Durante as guerras e grandes operações, políticos geralmente são convidados a programas de televisão, e Bennet não desperdiçou uma única oportunidade de defender a ocupação terrestre de Gaza. Além disso, o líder nacionalista é jovem, carismático e não compõe a ala mais religiosa do partido, apesar da kipá na cabeça. Ex-oficial da força aérea, bem-sucedido homem de negócios no setor do high-tech e uma das principais vozes do diálogo entre religiosos e laicos em Israel, Bennet se diz de “centro” e comprometido com a população judaica do Estado de Israel, independente de sua origem, religiosidade ou classe social.

A seguir o vídeo de Naftali Bennet explicando a sua estratégia e argumentos para a Anexação Parcial da Cisjordânia como uma solução ao conflito entre israelenses e palestinos.
*Para ativar a legenda em português, clique em “captions” no menu inferior do player do Youtube, após o início do vídeo.

O segundo vídeo foi produzido pelo movimento PAZ AGORA que é o mais antigo movimento pacifista de Israel e o de maior base popular do país.

O movimento foi fundado em 1978 durante as conversações de paz entre Israel e Egito. Num momento em que essas negociações estavam prestes a fracassar, um grupo de 348 oficiais de reserva e soldados das unidades de combate do exército israelense publicou uma carta aberta ao então primeiro-ministro de Israel instando o governo a fazer o possível para não deixar se perder aquela oportunidade de paz. Dezenas de milhares de israelenses escreveram em apoio à carta, dando luz ao movimento.

Os princípios básicos do movimento desde então foram o direito de Israel viver em fronteiras seguras e o mesmo direito aos seus vizinhos, incluindo o direito dos palestinos à autodeterminação. Com o tempo, o movimento se convenceu de que a criação de um Estado Palestino nos territórios ocupados na guerra de 1967, ao lado de Israel, é a única solução viável para o conflito.

A seguir o Vídeo Resposta do Movimento Paz Agora ao programa de Anexação Parcial da Cisjordânia exposto pelo candidato Naftali Bennett como solução ao conflito entre israelenses e palestinos.

*Para ativar a legenda em português, clique em “captions” no menu inferior do player do Youtube, após o início do vídeo.

 

————————————————————————

 

Comentários    ( 5 )

5 Responses to “Naftali Bennett X Movimento “Paz Agora” – Debate em Vídeo”

  • Claudio Daylac

    10/01/2013 at 03:02

    Para quem entende hebraico, é interessante observar que ambos os lados chamam a Cisjordânia por nomes diferentes.

    Enquanto que Naftali Bennet usa o termo “Judéia e Samária” (Yehudá veShomron), em referência aos nomes das regiões bíblicas incluídas neste território, o movimento PAZ AGORA prefere o termo mais internacionalmente conhecido “A Margem Ocidental” (haGadá haMa’aravit), referindo-se à sua localização em relação ao Rio Jordão.

    Na própria sociedade israelense, é possível observar o uso desses termos (ou de um terceiro, haShetachim – “Os Territórios”, mais neutro) no diálogo quotidiano, indicando a inclinação ideológica do interlocutor.

    Na legendagem dos vídeos, optamos por sempre usar o termo “Cisjordânia”, mais comum no Brasil.

  • Roberto

    11/01/2013 at 03:38

    Parabéns aos judeus por sustentarem um debate de maneira tão civilizada. Nós, brasileiros, temos muito o que aprender com os israelenses sobre discutir usando argumentos e não insultos.

  • Gabriel Levy

    11/01/2013 at 20:03

    Muito legal o artigo. Acho muito válido mostrar a visão dos dois lados de quem acompanha o ambiente doméstico.

    Cláudio, achei muito boa a reportagem com o Amos Oz no Haaretz sobre a possibilidade de anexação da Cisjordânia. Ele enxerga que existe o risco de um cenário mais catastrófico do que um estado binacional, mas sim de um Estado Árabe que iria do Mediterrâneo ao Jordão em poucas décadas, o que levaria a uma situação insustentável.

    Nesse caso, ele aponta que apenas o Meretz possui uma visão mais realista do momento, com percepção bastante pessimista quanto ao Avodá e ainda mais quanto ao governo Likud e Yisrael Beitenu, a quem acusou de ser o governo mais anti-sionista da história de Israel. Pesado, não? hehe

    De resto, parabéns a todos do Conexão Israel. Tenho lido os artigos e achado muito interessantes os artigos e posições de todos.

    • Claudio Daylac

      12/01/2013 at 00:02

      Gabriel,

      obrigado pela sua visita e pelos elogios.

      Amos Oz chama o governo de antissionista exatamente pelos argumentos que você descreveu no parágrafo acima. Trata-se de um governo que, ao ignorar a necessidade de um Estado palestino, está enterrando a solução de dois Estados e fingindo que será possível manter um Estado único, judaico e democrático, entre o Jordão e o Mar. Esta postura está matando o sonho sionista por dentro, como um vírus.

      É pesado mesmo. Mas é a dura realidade.

      Eu pretendo escrever sobre isso nas próximas semanas, mas o João publicou um artigo sobre a inexistência de negociações.

      Um abraço!

  • Flávio Rabinovici

    18/01/2013 at 20:11

    Artigo sensacional,parabens ao “conexão Israel” pelo ,interessantíssimo, debate que está sendo feito sobre as atuais eleições Isralenses.
    Achar algum tipo de informação sobre esse assunto na mídia brasileira é bem complicado,e quando se acha algo não vem com conteúdo tão detalhado e bem comentado como aqui!
    Kol Hakavod!

Você é humano? *