Nas Ondas do Rádio

21/01/2017 | Cultura e Esporte

A Noruega desligou suas transmissões de rádio em FM. Não é notícia falsa, corrente de rede social ou algo parecido. Realmente, fizeram isso. Decisão governamental. Ficam apenas as estações do digital.

Na contramão desta tendência, Israel possui mais de 20 emissoras cobrindo o país, trazendo informações, prestação de serviço, além de música e entretenimento. Todas, sem exceção, de hora em hora, entram em cadeia com uma das três opções de noticiários: Kol Israel (Voz de Israel, da rede pública), Galei Tzahal (Ondas do Exército, militar) e Canal 10 (privado). Ouvir as Chadashot (notícias) no ônibus, por exemplo, faz todos ficarem em silêncio. Uma questão cultural.

As musicais, com suas segmentações, vão da orquestra clássica ao rock and roll, passando pelo ritmo mediterrâneo. As jornadas esportivas ocorrem em sistema carrossel, ou seja, todos os jogos ao mesmo tempo. Seja futebol ou basquete, o âncora, do estúdio, chama narradores e repórteres, que estão in loco.

Programas noturnos, com participação de ouvintes, servem como psicólogos para corações solitários e aflitos. Políticos procuram o veículo para divulgar suas plataformas. Ainda confia-se na credibilidade de prefixos e jornalistas. Comunicadores tocam sucessos e lançam novos talentos.

A minha grade particular de programação inclui a 103 FM, com Gal Gazit às dez da manhã (informação e variedades) e Esportes, no final da tarde (Meir Einstein e equipe). De hora em hora, ouço os radiojornais, não importa a estação. Agora, de resto, grudo o ouvido na Reshet Bet (Rede B), que toca notícias, durante 24 horas. Esta é a minha principal fonte de informação.

Terças-feiras, das 16h às 18h, hora local, meio dia às duas, horário atual de Brasília, estou na rádio Sol (http://www.radiosol.co.il/), como repórter cultural do programa Kessem Brasilai (Magia Brasileira). Junto com Rachely Scapa e Rick Niskier, falamos sobre a música tupiniquim, além de eventos que ocorrem por aqui.

A televisão não matou o rádio. A internet o revitalizou. Em Israel, ouvem pela manhã, tarde e noite. É o grande companheiro. Ainda à pilha, ou pelo celular. Espalhado pela casa, em ônibus ou táxi.

Viva o rádio! Viva Israel! Viva o rádio em Israel!

Link: http://www.melhoresradios.com.br/ListaRadios.aspx?pais=Israel

Eco 99FM e GalGalatz (Onda do Exército): Executam o melhor do pop rock nacional e internacional. A segunda se tornou mais eclética, tocando mizrachit, nos últimos tempos. Fato que fez a concorrente criar a vinheta “Música boa 24 horas por dia”.

Reshet Bet (Rede B) e Galei Tzahal (Ondas do Exército): Talk News. Notícias 24 horas. Seriam equivalentes à CBN e Bandnews, no Brasil. A primeira é estatal. A outra, militar. Entretanto, não são “chapas-brancas”.

88FM: Programação de qualidade. Música de primeira. Audiência qualificada. De Chico Buarque a The Beatles, passando por Ella Fitzgerald. Destaco o dia inteiro de língua portuguesa, todos os anos, aos sábados de carnaval.

Lev HaMedina (Coração do Estado): Popular. Toca música mizrachit (oriental) – mediterrânea, equivalente ao sertanejo brasileiro.

103 FM (região central)-104,5 (norte) – Chama-se rádio Le´Lo Afsaká (Rádio Que Não Para). Prestação de serviços, jornalismo, esporte e entrevistas.

Reshet Guimel (Rede C) – Estatal. Toca somente música israelense. De todos ritmos e gostos.

Rádios Darom (Sul), Tel Aviv, Jerusalém, Haifa – Ecléticas, com prestação de serviços. Voltadas para suas regiões.

Foto: https://upload.wikimedia.org/wikipedia/commons/thumb/a/aa/Shortwave_Radio.jpg/800px-Shortwave_Radio.jpg

Artigos relacionados

Ver mais artigos

Comentários    ( 0 )

Comments are closed.