O sapateiro anda descalço

24/08/2015 | Cultura e Esporte

Em Israel, na casa do ferreiro o espeto é de ferro. O sapateiro, no entanto, anda descalço. Aqui se diz que melhor um pássaro na mão do que doisna árvore.

Para comparar expressões brasileiras e israelenses, fiz um divisão em três subgrupos:

1) Expressões que são identicas.

Ex: Quebrar o gelo

2) Expressões que são similares, mas não identicas

Ex: Longe dos olhos, longe do coração ou o que os olhos não veêm, o coração não sente

3) Expressóes que são completamente diferentes,mas tem o mesmo sentido.  

Ex: Não se troca cavalo vencedor / Não se mexe em time que está ganhando

 

(1) Expressões identicas são as mais fáceis de encontrar

Em São Paulo, ou em Tel Aviv, quem come sozinho, morre sozinho. Se o assunto é confidencial, é melhor conter a excitação, afinal, a curiosidade matou o gato, em ambas as línguas.

Seja em Arad, no Sul de Israel, ou no Acre, basta perguntar a alguém, pois todos os caminhos levam a Roma. Não se chora pelo leite derramado, seja ele Parmalat ou Yotvata.    

Em Israel, bem que poderia ser camelo, mas assim como no Brasil, cavalo dado não se olha os dentes. Não há necessidade de reinventar a roda em ambos os lugares, e mesmo que você esteja no Muro das Lamentações ou no Palácio do Planalto, não adianta tentar falar com as paredes.

Seja o discurso do primeiro-ministro, ou da presidenta, o que foi dito ao público entra por um ouvido, e sai pelo outro. Em momentos de crise, ambos fazem tempestade em copo d’agua e tanto no O Globo, como no Haaretz,  uma imagem vale por mil palavras.

 

(2) Expressões similares são adaptações feitas para respeitar uma sonoridade agradável em cada língua ou um aspecto cultural.

Quando estiver em Roma, faça como os romanos, fica parecido com sua versão hebraica: em Roma, comporte-se como um romano.

Aliás, Roma merece um capítulo em separado na história deste texto. Roma não foi feita em um dia fica muito parecido com a expressão hebraica que diz que Roma não foi construída em um dia.

Ri, quem ri por último. Sim, esta é a forma hebraica da nossa expressão quem ri por último, ri melhor.

A abundancia de árvores faz com que os brasileiros coloquem lenha na fogueira para atiçar conflitos. Talvez por conta da grande quantidade de oliveiras, os israelenses preferem colocar óleo na fogueira.

Israelense ansioso põe a carroça na frente dos… cavalos, diz que até o casamento passará, e anda na corda… fina (não na corda bamba!).

 

(3) Os exemplos mais interessantes (e mais difíceis de achar) são aqueles em que diferentes expressões apresentam o mesmo significado.

Em um buraco (poço) que (você) bebeu, não jogue uma pedra, mais adequado para o deserto israelense do que não cuspa no prato que comeu.

Insistir em algo inútil por aqui, se diz: fazer ventosaterapia para morto, o que poderia ser paralelo ao nosso enxugar gelo.

Por último, além das três categorias anteriores, existem outras inúmeras possibilidades. Por exemplo: (Estava) escrito na parede, normalmente é usado em Israel para algo ruim que já era previsto anteriormente, enquanto escrito nas estrelas, também se refere a algo que já era previsto, mas em geral, uma boa previsão.

Sair dos trilhos, em português, significa perder o rumo, em hebraico, enlouquecer.

A semelhança dos proverbios e expressões não é mera causalidade. A fonte de muitos deles são os livros antigos, em grande parte extraídos da literatura judaica.

Evidentemente, este texto não inclui uma lista completa de todas as expressões. Para fazer isso, teria que fazer uma grande pesquisa, além de ter de tornar o texto muito longo.

Como queria deixá-lo curto e acessível, me conformei em colocar apenas alguns exemplos. Afinal, é muito dificil dançar em dois casamentos ao mesmo tempo, tão difícil quanto assoviar e chupar cana.

Segue uma lista com as expressões em hebraico utilizadas no texto, a tradução literal a esquerda e a forma de escreve-las a direita.

O sapateiro anda descalço הסנדלר הולך יחף
Melhor um pássaro na mão do que dois na árvore טוב ציפור אחת ביד משתי ציפורים על העץ
Quebrar o gelo לשבור את הקרח
Longe dos olhos, longe do coração רחוק מהעין רחוק מהלב
Não se troca um cavalo vencedor לא מחליפים סוס מנצח
Quem come sozinho, morre sozinho מי אוכל לבד מת לבד
A curiosidade matou o gato הסקרנות הרגה את החתול
Todos os caminhos levam a Roma כל הדרכים מובילת לרומא
Não se chora pelo leite derramado אין בוכים על חלב שנשפך
Cavalo dado não se olha os dentes לא בודקים את השיניים של סוס שקיבלת במתנה
Reinventar a roda המציא את הגלגל מחדש
Falar com as paredes לדבר אל הקיר
Entra por um ouvido, sai pelo outro כנס מאוזן אחת ויוצא מהשניה
Tempestade em copo d’agua סערה בכוס מים
Uma imagem vale mais que mil palavras תמונה אחת שווה אלף מילים
Em Roma, comporte-se como um romano ברומא התנהג כרומאי
Roma não foi construída em um dia רומא לא נבנתה ביום אחד
Ri, quem ri por último צוחק מי שצוחק אחרון
Colocar óleo na fogueira הוסיף שמן למדורה
Em um buraco que bebeu, não jogue uma pedra בור ששתית ממנו אל תזרוק בו אבן
Dançar em dois casamentos לרקוד על שתי חתונות
(Estava) escrito  na parede הכתובת הייתה על הקיר
Saiu (desceu) dos trilhos לרדת מהפסים
O chapéu ferve na cabeça do ladrão הכובע בוער על ראש הגנב

 

Comentários    ( 3 )

3 Responses to “O sapateiro anda descalço”

  • Marcelo Starec

    25/08/2015 at 06:13

    Oi Amir,

    Muito interessante!…Gostei…Enquanto li, estive pensando o quanto uma língua está associada a toda a cultura de um povo – no caso – hebraico (ou o Aramaico, muito parecido), de fato representa muito da cultura milenar do povo judeu. E outra coisa interessante é que, por fim, todos os povos e culturas (e obviamente as línguas também…) se misturaram e sofreram influencias ao longo do tempo, de uma na outra!…Nesse ponto, há claros exemplos da influência da cultura judaica e do hebraico também na cultura e na língua portuguesa, tendo sido Portugal uma nação que teve ao longo dos séculos, forte influencia da cultura judaica, sendo o inverso também verdadeiro – e isso também vale para as culturas greco-romana, árabe, persa, turca, espanhola, russa, americana, brasileira e por aí vai….

    Abraço,

    Marcelo.

  • Sheila Tellerman

    25/08/2015 at 23:03

    Amir querido,como sempre vcs escrevem artigos bem interessantes e me ajudam muito nas aulas.Vc poderia me explicar a כוונה das seguintes frases:

    הכובע בוער על ראש הגנב

    הכתובת הייתה על הקיר

    Bjão.Obrigada.

  • Raul Gottlieb

    30/08/2015 at 13:10

    A expressão sobre a mensagem escrita na parede se origina do livro de Daniel (no Tanach), onde ele descreve um banquete no palácio do rei da Babilônia Belshazzar, onde os comensais usavam utensílios roubados do primeiro Templo de Jerusalém, que fora conquistado poucos anos antes pelo pai (ou avô) do rei.

    No meio do banquete todos viram uma mão misteriosa escrever uma mensagem enigmática na parede. Chamaram a Daniel para decifra-la (num eco do que aconteceu com José e o Faraó) e Daniel interpretou o escrito dizendo que o rei havia sido contado (ou seja, seus anos haviam passado), seu reino tinha sido avaliado e que seria destruído.

    A profecia se concretizou com a conquista da Babilônia pelo rei persa Dario (que mais tarde patrocinou a volta dos cativos hebreus para Jerusalém).

    Assim que um escrito no muro é uma imagem bíblica relacionada com algo ruim que vai acontecer, mas que você não consegue interpretar.

    Rembrandt pintou um famoso quadro sobre esta história, onde, estranhamente, grafou as palavras em hebraico de forma incorreta (talvez tenha tido um assessor para o hebraico meio ignorante). O quadro está na National Galery em Londres.

    Um link para ele é: https://www.google.com.br/url?sa=i&rct=j&q=&esrc=s&source=images&cd=&cad=rja&uact=8&ved=0CAcQjRxqFQoTCNPyg9zH0McCFQWIkAodlCALdg&url=https%3A%2F%2Fcommons.wikimedia.org%2Fwiki%2FFile%3ARembrandt_-_Belshazzar's_Feast_-_WGA19123.jpg&ei=2NXiVdOmB4WQwgSUwaywBw&psig=AFQjCNEmpHmanlyXxB0LqM7HwnHeqB7exw&ust=1441015634133274

    Brasília está cheia destas mensagens nos dias de hoje. Os petistas olham para elas e não entendem nada. Ainda não tiveram a humildade de chamar um Daniel para fazer a leitura,