Parem as Maquinas!!!

29/10/2014 | Ciência e Tecnologia

Nos dois artigos anteriores abordei o tema Intel Corporation como empresa e sua influência sobre Israel ou vice versa.

“-Parem as máquinas!!”, gritaria um diretor de alto escalão para toda a fábrica de 22 nanômetros (nm) em Kyriat Gat, região sul de Israel. Engana-se quem pensa que seria parar a produção ou fechar as portas por problemas de qualquer origem. Essa decisão era uma vitória de Israel sobre a Irlanda na implementação da nova fábrica de processadores com 10 nm no lugar da “antiga” de 22nm.

A tecnologia de 22nm já é considerada uma tecnologia ultrapassada pois foi desenvolvida em 2011 e provavelmente é a tecnologia usada no computador (chamada IvyBridge) em que você lê esse artigo.

Mas vamos devagar, o que é a nanotecnologia? O que é nanômetro? Onde se aplica a nanotecnologia?

O termo Nanotecnologia foi popularizado a partir de 1986, com o lançamento do livro “Engines of Creation”, de Eric Drexler. Ainda nessa década se torna possível a observação e manipulação de átomos, tirando o termo nanotecnologia do rol da ficção científica. Entretanto, o professor japonês Norio Taniguchi foi o primeiro a utilizar o termo em 1974; e em 1959, o físico Richard Feynman já anunciava ser possível a inserção dos 24 volumes da Enciclopédia Britânica, no espaço da cabeça de um alfinete. Incrível não? Em 1959 já existiam visionários como Feynman capazes de entender a importância da pesquisa nesse setor. Recomendo a leitura do livro “Surely You’re Joking, Mr. Feynman! ”, onde ele conta, dentre outras histórias, sua passagem pelo Brasil.

Trocando em miúdos, nanotecnologia é a ciência que permite manipular e construir materiais e estruturas em escala de 1 nanômetro (escala molecular ou atômica). Tal manipulação é feita molécula a molécula, ou átomo a átomo, é a ciência que torna possível construir microestruturas usando moléculas e átomos como se fossem tijolos de construção ou peças de engrenagens e no caso da Intel, transistores de processadores.

Vamos ao nanômetro. Esta é uma unidade de medida equivalente a um milionésimo de milímetros, ou seja, um espaço equivalente ao milímetro (mm) dividido por 1 milhão de frações ou o centímetro dividido por 10 milhões de frações. Para se ter uma ideia do quão pequeno é 1 nm, se pegarmos o dedo polegar como exemplo, veremos que ele tem em média 2.54cm ou 25.400.000nm.

A unidade “nanômetro” pode ser escrita de algumas maneiras, por exemplo: Se formos usar uma notação cientifica, escreveremos 〖10〗^(-9) ou 1/1 000 000 000 m, ou ainda 0,000 000 001 m.

nanometro3

 

E como os processadores usufruem desta tecnologia?

Quando se fala que um processador de 22, 14 ou 10 nm, isto quer dizer que a distância da “perna do meio” do transistor, a chamada base, onde a imagem pode ser vista no primeiro texto, foi ligeiramente encolhida, sendo mais preciso, estreitada.

Com isso o tráfego de informações fica mais veloz, pois tem que percorrer distâncias menores, logo o processador esquenta menos e, logicamente, fica menor.

nanometro4

Esta tecnologia, conforme descrevi acima, vive dentro de processadores. Estes cada vez menores e menos quentes podem ser inseridos na próxima geração do mundo da tecnologia da informação, os chamados wearables ou em bom português, “computação vestível”.

Vocês devem ter visto os novos wearables: relógio, camisas, tênis de corrida, bonés, óculos, etc. Estes somente têm a capacidade de processamento altíssima, graças à nanotecnologia.

nanometro5

O investimento da Intel gerou uma entrada de algo em torno de 3 a 6 bilhões de dólares em Israel. Este é o custo estimado da nova fábrica.

No desmonte da “velha” tecnologia e implementação da nova, na fábrica de Kyriat Gat, não sobra nem um parafuso ou uma porca. A fábrica antiga (22nm) será remontada em algum outro site da Intel, em algum país não definido. Tudo é minuciosamente cuidado, desde o produto usado para limpar o chão até a tinta do teto da fábrica. É impressionante a minuciosidade de cada escolha.

A fábrica de 14nm, uma geração anterior a de 10nm foi construída na Irlanda. Estes país ganhou a concorrência em 2012 pois dava, e ainda dá, um credito fiscal à Intel em torno de 25% sobre 50% do investimento total. Israel, não!

Então o que faria a Intel investir em Israel? Seria porque Israel faz um pagamento único no valor de U$200 milhões e é melhor garantir logo a grana! Ou por ter ganho o prêmio máximo de qualidade que um Intel site pode receber! Uns dizem que a Irlanda não honrou seus compromissos, outros que Israel está muito à frente no desenvolvimento dos wearables, área liderada por Mooly Eden em Haifa, conforme expliquei no segundo texto, por isso a decisão do investimento aqui e não na terra do Leprechaun.

Mas voltando aos wearables, Mooly Eden soltou algumas profecias:

“Not far away we’ll see implanted devices, I think it’s inevitable”

Tradução: “Não estamos longe de ver implantes de dispositivos, eu acredito que é inevitável”

“Things are moving on from the PC and laptop. It is not a carry with you; it is a carry on you. It’s wearable.”

Tradução: “As coisas estão mudando no PC e laptop. Eles não serão carregados por você e sim em você. São “aquilo que se pode vestir”

Eu também acredito nisso Mooly, já já veremos isso. Tudo que temos contato hoje direto com o nosso corpo, estará munido de um sensor que mandará dados com informações específicas em tempo real para onde quisermos, celular, e-mail, sms ou até nossos médicos. Por exemplo, um brinco, colar, blusa, pulseira ou até mesmo uma lente de contato, mandarão dados para seu médico ou celular como seu batimento cardíaco, pressão sanguínea ou algum outro tipo de dado que nos ajudará a viver melhor. E por que não! Um maratonista que mandará dados em tempo real através do seu lindo e revolucionário Asics para seu treinador. E o que diriam de um jogador de futebol que terá todo seu trajeto em campo transmitido, sabendo-se se está cansado ou algum musculo foi atingido, tudo isso em tempo real!

Mas não é só no High Tech que ouvimos sobre o assunto investimento, os políticos também se apressaram para mostrar sua “parte” nessa parceria, querendo talvez aquela forcinha nas próximas eleições, e por que não?

Yair Lapid (1), jovem político, mais votado nas últimas eleições, hoje ministro da fazenda, disse que o governo continuará a promover esses investimentos, e que isso seria um voto de confiança na economia israelense. Esses investimentos criarão milhares de empregos.

“Isto é um voto de confiança na economia e nos cérebros israelenses…”

Já o primeiro ministro Bibi Netanyahu (2) que preferiu focar na nova fábrica e mostrar o ganho do país, assim disse:

“O upgrade da fábrica de Kyriat Gat ficou sob discussão por vários anos, no passado, o governo ofereceu a Intel a garantia em investimento de $700 milhões de dólares, se fosse construída a nova fábrica no valor de $10 bilhões de dólares para a produção chips de 10nm em Israel. Entretanto, o novo anúncio mostrou que a Intel escolheu a segunda opção, uma ajuda governamental num total de $200 milhões para expandir a antiga de 22nm. ”

Já o ministro da Economia Naftali Bennet (1) solta:

“Este é um investimento de bilhões de shekels… no High Tech Israelense” e completou no FaceBook: “20 bilhões de shekels (U$ 5.8 bilhões ou EU 4.1 bilhões) serão investidos em Israel, num dos maiores, senão o maior investimento da história de Israel. Esta fábrica será a mais avançada do mundo”

Podemos agora pensar no que está por vir, não? Nós seremos invadidos por sensores, ou melhor já estamos sendo.

Aqui em Israel já existem Startups que trabalham forte nas pesquisas nesta área, hoje já existem sensores que captam movimentos através dos movimentos dos músculos, boné com captação de batimento cardíaco e ainda o magnífico sensor colado no dedo e dirá se algum paciente está sentindo alguma dor aguda ou crônica… É esperar para ver!

Abraços e até a próxima…

p.s. Segue uma carta emitida pela Intel sobre comparações interessantes e até engraçadas sobre o processador de 22nm.

 

Fontes:

1) http://www.businessinsider.com/intel-is-investing-6-billion-in-israeli-chipmaking-facilities-2014-5

2) http://www.haaretz.com/business/1.588286

 


Marcelo Marcelo Korn  mora em Israel há 9 anos (desde 2005). Cursou no pais duas faculdades: Engenharia de Sistemas e Ciência da Computação no Hadassah College of Technology em Jerusalém. Trabalha na Intel desde 2008, atualmente ocupa a função de Engenheiro de Software e Firmware no campus Jerusalém(IDCJ) – Israel Design Center Jerusalém. (LinkedIn – Marcelo Korn)

Comentários    ( 4 )

4 comentários para “Parem as Maquinas!!!”

  • Marcelo Starec

    30/10/2014 at 05:07

    Oi Marcelo,
    Excelente artigo!…Não tenho dúvida de que, embora haja diversos fatores que levaram a escolha de Israel para receber a mais moderna fábrica da Intel, é certo que o ambiente propicio ao desenvolvimento tecnológico e a estabilidade econômica do País, recentemente reconhecido pela China como o melhor lugar do mundo para se investir e a sua mão de obra altamente qualificada foram fatores essenciais à decisão. Entendo que tanto a Intel quanto Israel estão de parabéns por mais essa importante parceria, que deixa a todos os que admiram Israel orgulhosos de mais esse feito!
    Abraço,
    Marcelo.

  • Michel Nigri

    31/10/2014 at 14:59

    Boa !
    Não entendo P nenhuma desse assunto !!! Mas ainda bem que tem sua cabeça aqui em Israel pra tocar esse barco !!!
    Mengooo !!!

  • Marcelo Korn

    01/11/2014 at 03:52

    Vlw Marcelo.

    Obrigado pela leitura, fico feliz em saber que voce gostou dos artigos e eh claro, que Israel esteja na “crista da onda”.

    Abcos fortes.

Você é humano? *