Stav Shaffir contra o Departamento de Assentamento

09/09/2014 | Política.

Já faz anos que o Departamento de Assentamento esconde seu orçamento dos cidadãos de Israel – esta manhã ele finalmente foi revelado, e a verdade é mais dura que qualquer coisa que se possa imaginar.

O papel oficial do Departamento de Assentamento é ajudar a periferia em Israel. Apesar de seu enorme orçamento estar baseado no dinheiro de nossos impostos, durante anos o Escritório do Primeiro-Ministro se recusa a revelá-lo. Agora está claro o porquê. Conforme foi divulgado em um extenso artigo no [jornal] Yediot Acharonot, os habitantes da colônia de Bet El [na Cisjordânia] recebiam em um ano mais dinheiro que todos os habitantes do sul e do norte do país – juntos.

Durante o último ano lutei na comissão de finanças para que se revelasse o orçamento secreto do Departamento. O presidente da comissão de finanças [da Knesset], Nissan Slominski, bravamente protegeu os integrantes do Departamento, quando eles repetidamente declararam a mim e aos membros da comissão que o orçamento do Departamento é dividido de forma igualitária entre todos os cidadãos de Israel. Mas algo ali não cheirava bem. Quem se opõe à transparência, provavelmente tem o que esconder. Portanto segui fazendo perguntas, e a cada vez a resposta do Departamento era mais e mais contundente.

Nos últimos meses o Instituto Molad fez um estudo aprofundado sobre o orçamento do Departamento, que foi revelado agora. Ele prova como os representantes do Departamento mentiram aos membros da comissão de finanças por todo este tempo. Vejam só: em 2014, 74.5% do apoio direto do Departamento foi investido apenas na Judéia e Samária [Cisjordânia]. O assentamento Bet El recebeu sozinho mais dinheiro que toda a Galiléia e o deserto do Negev juntos (!). E como se isso não bastasse, o estudo levanta também duras suspeitas de corrupção, concessões de benefícios a conhecidos e uma imunda exploração do dinheiro público israelense.

Ontem mesmo convoquei uma deliberação emergencial na Knesset com o pedido de transferência de fundos ao sul do país. Esta semana os comerciantes e empresários das cidade em volta de Gaza foram expulsos da comissão de finanças pelo seu presidente, porque ousaram exigir um debate a respeito das indenizações que merecem por causa da guerra. E o que acontece enquanto isso? O governo segue tomando o dinheiro dos nossos impostos e os repassa a seus conhecidos.

Enviei uma carta urgente sobre isto ao Primeiro-Ministro, e eu dedicarei os próximos meses a exigir que o Departamento de Assentamento indenize os cidadãos do sul e do norte pelo peculato e por trair a confiança pública. Estamos falando de bilhões de shkalim, que durante anos foram roubados do desenvolvimento da periferia de Israel. Chegou a hora de devolver o nosso dinheiro para casa.
*
Para a leitura do artigo completo [em hebraico] de Nachum Barnea no Yediot Acharonot desta manhã: http://tinyurl.com/kxufrgu

Post divulgado no facebook pela parlamentar do partido trabalhista (Avoda), Stav Shaffir, no dia 5 de setembro de 2014. A imagem abaixo diz:

O orçamento secreto é revelado: investimento do Departamento de Assentamento no morador de Har Hevron [Cisjordânia], 1417 shkalim por ano. Investimento no morador da região em volta de Gaza, 49 shkalim por ano. O governo de Israel perdeu o sul [jogo de palavras, porque “perder o norte” significa perder o controle]. Parlamentar Stav Shaffir

Artigos relacionados

Ver mais artigos

Comentários    ( 0 )

Comments are closed.