26/03/2014 | Cultura e Esporte.

Começarei pelo final. A palavra Zain, o nome da sétima letra do alef-bet, significa “pênis” em hebraico moderno. Prometo tratar do tema extensivamente, caro leitor assanhado, mas antes aprendamos um pouco sobre esta fascinante letra.

Origens

O alfabeto hebraico é derivado do fenício, e originalmente cada letra correspondia a algum objeto. Essa relação ainda é bastante visível em muitas letras, como Bet (casa), Dalet (porta), Yud (Yod na verdade, mão) e Ayin (olho), entre outros. A palavra Zain significava “arma”, sendo o formato da letra uma representação de uma espada, machado, ou outra arma. No hebraico dos dias de hoje este sentido ainda é mantido, embora usado apenas em algumas poucas expressões, como “kli zain” (arma), “kochot mezuyanim” (forças armadas) e “shod mezuyan” (assalto a mão armada), entre outros. Em um sentido mais amplo, o particípio “mezuyan” pode ter o significado de “reforçado”, como em “beton mezuyan” (concreto armado) e “beain bilti mezuyenet” (a olho nu, ou seja, a visão sem nenhuma assistência ou reforço).

formas

50 tons de Zain

Cada letra do alfabeto hebraico também é associada a um número, correspondência chamada de Gematria, palavra grega (!) que provavelmente associa Gamma ao número três (gamma + tria). Por Zain ser a sétima letra, muito já se escreveu sobre seus poderes cabalísticos, numerológicos e místicos. Não sou nada chegado a esse tipo de “sabedoria”, mas encontrei uma pérola que sou obrigado a compartilhar. Trata-se de um trecho do livro Pardes Rimonim, do cabalista Moshe Cordovero, que viveu na cidade de Tzfat no século XVI. Na seção “Shaar Haotiot” ele se propõe a revelar o segredo contido nas diferentes letras do alfabeto. Tentei traduzir ao português o parágrafo sobre a letra Zain, mas ficou bastante esquisito, então em vez disso explicarei o sentido geral, e os mais interessados encontrarão a tradução junto com o original em hebraico no final do texto. Nele aprendemos o seguinte:

O dia do Shabat (sétimo dia) representa a coroa, que é o que há de melhor depois dos seis dias de trabalho. Da mesma forma, a sétima letra, o Zain, é o mesmo que a sexta letra (Vav), mas com uma coroa em cima. Esta coroa não é nada menos que o pacto com Deus, que é feito durante a cerimônia de circuncisão que é o brit mila. Já vemos que Cordovero insinua uma relação entre a coroa em cima da letra Zain com a “coroa” em cima do pênis. Ele vai mais longe ainda: O Shabat alimenta, dá comida a todos os outros dias da semana (comida se diz Mazon, que parece ter a mesma raiz de Zain), e assim também o Zain tem este nome representando a comida que se abunda dele (sem trocadinhos). Cordovero termina dizendo que a oitava letra, o Chet, parece como uma fêmea de pernas abertas prestes a receber a “abundância” do macho, na forma da “coroa” da letra Zain. Em suma, literatura sensual de primeira linha. Abaixo uma figura com as três letras mencionadas, Vav, Zain e Chet, vejam vocês se a alegoria é válida.

 3letras

Agora que a pornografia já foi introduzida ao texto por um rabino cabalístico, me sinto à vontade para explicar a conexão entre letra Zain e seu significado popular nos dias de hoje. Zain significa pênis não por causa de nosso amigo Cordovero.

A gíria

A palavra idish Shvantz (שוואנץ), assim como o alemão Schwanz, significa literalmente “rabo”, e com o tempo passou a ser usada para se chamar alguém de tolo, bobo, idiota. Para não se dizer a palavra grosseira Shvantz, começou-se a chamar os tolos de Zanav, a palavra hebraica para rabo. Um outro significado de Shvantz é pênis, e agora começamos a desvendar o mistério. As duas palavras, Shvantz e Zanav, podiam admitir os três significados “rabo”, “tolo” e “pênis”. O linguista Yehuda Leib Ben-Zeev (1764-1811) escreveu a “Poesia dos Pretendentes”, usando assim a palavra Zanav (estrofes 12 e 13):

E direi: coloque sua mão sob minha coxa
E conduza este garoto
E faça o que desejo
Estenda sua mão e segure meu rabo.

Veomar: simi na yadech tachat yerchi
Veet hayeled haze holichi
Veasi kaasher im levavi
Shilchi yadech veichzi beznavi

ואומר: שימי נא ידך תחת ירכי
ואת הילד הזה הוליכי
ועשי כאשר עם לבבי
שלחי ידך ואחזי בזנבי

Novamente, para evitar a grosseria de se chamar alguém de Zanav (tolo), tomou-se a primeira letra da palavra como representante da ofensa: Zain. O significado de pênis também passou automaticamente para a primeira letra de Zanav, e finalmente chegamos ao nosso destino. O uso de letras separadas para evitar palavras consideradas grosseiras era comum, e já havia sido feito no Talmud Bavli (מסכת מגילה פרק ג, דף כה,ב גמרא), soletrando Shet (שת = bunda) como Shin-Tav, na frase que em bom português de hoje se traduziria como: “É permitido a um judeu dizer a um não-judeu, pega essa tua idolatria e enfia no cu”. (A tradução é correta, pode verificar.)

Passadas décadas e séculos da transição Shvantz → Zanav → Zain, hoje em dia ninguém mais lembra porque caralho uma das letras do alfabeto significa pênis. Toda essa história eu fui aprender em um artigo publicado na revista “Leshonenu Laam”, de publicação da Academia de Língua Hebraica. Em 1992, David Asaf e Israel Bartal publicaram “Reviravoltas de rabo: do quintal dos chassidim à gíria israelense”. A leitura é muito recomendada àqueles que entendem hebraico.

Para quem achou esquisito o fato de se comparar o rabo ao pênis, é interessante notar que a palavra em português “pênis” vem do latim “penis”, que originalmente significava (que rufem os tambores…) rabo! Para mim a grande pergunta é por que o pênis é associado a nomes de pássaros: pinto, peru, cock (inglês), bulbul (hebraico), etc.

peru

Aula de hebraico

A língua hebraica conta hoje com várias expressões que utilizam a palavra Zain. É importante conhecê-las.

1 – Lasim Zain = לשים זין.
Literalmente “colocar pênis”.
Significado: não estar nem aí, estar se lixando, mandar um foda-se.
Uso: No final do serviço militar, parte da galera começou a “colocar pênis” .
בסוף השירות התחילו חלק מהחבר’ה לשים זין.
Variação: Lizrok Zain = לזרוק זין, literalmente “jogar pênis”.
A expressão é usada por partidos políticos em todas as eleições, da seguinte forma. Para se votar em Israel, escolhe-se um papelzinho com a letra (ou letras) que representam o partido, coloca-se o papel em um envelope, e o envelope na urna (veja o video). Toda eleição, o partido mais desbocado e anti-establishment escolhe o Zain, e o slogan automático é “Sim Zain Bakalpi” (Lixe-se para a urna, ou literalmente “coloque pênis na urna”).

petek

2 – Zain Baain = זין בעין.
Literalmente “pênis no olho”.
Significado: porra nenhuma, nem ferrando, nada.
Uso: “Depois de tudo o que ele disse sobre mim, ele acha que vai ganhar um empréstimo de mim? Pênis no olho ele vai ganhar comigo!”
אחרי כל מה שהוא אמר עלי הוא חושב שיקבל ממני הלוואה? זין בעין הוא יקבל אצלי!
Variação: Expressão soa antiga hoje em dia, para atualizá-la diga apenas “Zain”, ou “Zubi”, que é pênis em árabe (pontos extra!).

3 – Al HaZain = על הזין.
Literalmente “sobre o pênis”.
Significado: “que se foda”, expressão de desdém total.
Uso: “Eu não quero e ponto final — sobre o meu pênis todo mundo!”
אני לא רוצה וזהו – על הזין שלי כולם.

4 – Nishbar Lo HaZain = נשבר לו הזין.
Literalmente “o seu pênis quebrou”.
Significado: “não aguenta mais”, “tá de saco cheio”.
Uso: O pênis pode ser dele, teu, meu, nosso, é só trocar o pronome Lo por Lecha, Li, Lanu etc. “Me quebrou o pênis dessa escola e dos professores insuportáveis!”
נשבר לי הזין מבית הספר ומהמורים המעצבנים!

Um pouco de cultura

Para terminar, um pedacinho do livro Uma História de Amor e Escuridão, de Amos Oz. Lá se conta sobre os discursos fulminantes que Menachem Begin dava nas reuniões do movimento Cherut. O Sr. Begin, que sabia bem hebraico, usava o verbo “lezayen” no sentido de armar, enquanto que a maior parte de seu público entendia por “lezayen” o verbo que tem a ver com Zain: foder. Amoz Oz conta:

O Sr. Begin tomou dois ou três goles de seu copo, olhou para o público, mexeu sua cabeça três ou quatro vezes de cima para baixo, como se estivesse concordando com suas próprias palavras, ou como quem lamenta de algo, e começou a enumerar com voz alta e acusadora, como um promotor furioso garantindo uma série incontestável de objeções esmagadoras e pungentes:
“O presidente Eisenhower está armando o regime de Nasser!
Bulganin está armando o regime de Nasser!
Guy Mollet e Anthony Eden estão armando o Nasser!
Todo o mundo está armando dia e noite os nossos inimigos árabes!!!”
Pausa. A voz do discursante se enche de desprezo e nojo:
“E quem está armando o governo de Ben-Gurion?”
Um silêncio estupefato tomou conta do salão. Mas o sr. Begin não o percebeu. Ele levantou sua voz e vibrou irascivelmente:
“Se eu fosse o primeiro ministro agora — todos, todos nos armariam!! TO-DOS!!!”


Fontes:

Talmud Bavli (מסכת מגילה פרק ג, דף כה,ב גמרא), e a tradução aqui e aqui.
Artigo “Reviravoltas de rabo: do quintal dos chassidim à gíria israelense”, no site da Academia de Língua Hebraica. Link extra aqui.
Artigo sobre a gíria Zain, no Wikipedia.
Site Balashon sobre língua hebraica.
Artigo de Michael Handelzalts no jornal Haaretz: How one Hebrew letter came to mean both ‘penis’ and ‘weapon’.

Imagens:

Imagem de capa, Flickr de Steve Voght, segundo a seguinte licensa Creative Commons.
As três formas de se escrever a letra, aqui.
Papelzinho de votação, The Marker.


Texto de Moshe Cordovero, em Shaar Haotiot. O livro inteiro pode ser encontrado neste link. O parágrafo abaixo encontra-se em שער כז פרק י:

ויש מי שפירש כי הזיין הוא יסוד והא סוד הברית והוא סוד שבת וכמו ששבת עטרה על ששת ימי המעשה כן בזיי”ן עטרה על הוא”ו והעטרה הזאת היא עטרה שבברית. וכמו שהשבת נותן מזון לכל שאר ימי השבוע כן האות הזה נק’ זיי”ן על שם המזון הנשפע ממנו והוא הברית הנמשך מהת”ת שהוא הגוף הנרמז בוא”ו והזי”ן ברית והחי”ת נקבה העומדת לקבל ופוסקת את רגליה לקבל שפע הזכר

Agora a minha tradução:

Da mesma forma que o dia do Shabat é a coroa dos seis dias de trabalho, assim a letra Zain é composta por uma coroa sobre a letra Vav, e esta coroa é a do pacto com Deus (brit). E da mesma forma que o dia do Shabat dá comida (mazon) a todos os outros dias da semana, a letra Zain é chamada assim pela comida que se abunda de si, e este é o pacto que segue do estudo da Torá, que é o corpo insinuado pelas letras Vav e Zain, com a letra Chet, a fêmea que está prestes a receber e abre suas pernas para receber a abundância do macho.

Comentários    ( 10 )

10 Responses to “Zain”

  • Uri

    26/03/2014 at 15:16

    Yair,

    Bastante interessante esse texto. Parabéns!

    Seria forçar a barra, se eu tentasse tirar um pouco o contexto pornográfico das palavras do Cabalístico Cordovero? É apenas uma tentativa, vamos lá!

    Se traduzir רגליה – que no caso você traduziu como “pernas” – como “hábitos” ou “costumes”, teríamos outra interpretação, que é habitual e corriqueiro a mulher (fêmea) receber o sustento (abundância) do seu marido (macho).

    Abraços!

    • Yair Mau

      26/03/2014 at 15:24

      Obrigado Uri, a interpretação é interessante! Contudo, creio que o que tira toda sombra de dúvida com respeito à intenção de Cordovero é o verbo que vem antes de pernas: פוסקת. Este verbo é usado para a ação de abrir bem os braços, pernas, etc. Veja a tradução do dicionário Morfix: to open wide, to spread apart (legs, arms, lips) (http://www.morfix.co.il/%D7%A4%D7%99%D7%A1%D7%A7)
      Abraço!

  • Uri

    26/03/2014 at 15:38

    Forçando a barra novamente, פוסקת pode ser as “regras” ou “normas” da fêmea. Então seria algo do tipo das “regras do hábito”. Enfim, foi apenas uma tentativa, não sou tão conhecedor do Hebraico, mas me fascino por essas várias interpretações que uma mesma palavra ou frase pode ter.

    Abraço!

  • Mauricio Peres Pencak

    26/03/2014 at 22:07

    Artigo SENSACIONAL. Só me deixa mais orgulhoso de ser herdeiro e continuador de uma cultura-religião-etnicidade tão incrível!

  • Sheila Tellerman

    28/03/2014 at 13:33

    G-E-N-I-A-L!!!Muito bom seu artigo,Yair.Cada vez sou mais fã do Conexão…

    Dou aulas de Ivrit há tanto tempo e sempre ficava ëncucada”com o tal do Zain,rs.

    Valeu!!SHABAT SHALOM pra todos da Conexão!!!

  • Marcella

    29/03/2014 at 04:34

    Muito bacana teu artigo. Esclarecedor e divertido. Parabéns!

  • Raul Gottlieb

    29/03/2014 at 12:37

    Muito bom o texto, Yair. Parabéns e obrigado.

    Pergunto se a expressão “colocar a mão sob a coxa” usada pelo poeta Ben-Zeev sobreviveu no hebraico moderno.

    Esta expressão tem origem na Torá e simboliza um ato de juramento, algo semelhante ao gesto de levantar a mão e jurar sobre a Bíblia, exigido em alguns tribunais.

    Por exemplo, em Bereshit 24:2, Abraão faz o seu servo jurar que ele não vai jamais procurar uma esposa para o filho Isaac entre os Cananitas, pedindo para que ele coloque a mão sob a sua coxa. O poeta usa exatamente a mesma frase em hebraico bíblico.

    O professor de literatura comparada Robert Alter afirma que jurar segurando os genitais da pessoa, ou colocando a mão próxima a eles, era uma prática disseminada no Oriente Médio da época em que a Torá foi escrita (felizmente esta prática antiga não foi transformada em mitsvá, como aconteceu com tantas outras práticas de mesma origem!).

    Ainda se usa esta expressão na linguagem corrente em Israel?

    Abraço, Raul

    • Yair Mau

      30/03/2014 at 00:21

      Obrigado Raul, no artigo “Reviravoltas de rabo” que citei no texto, estava escrito que o autor da poesia parafraseou um versículo do Tanach, e eu não sabia qual. Muitas expressões do Tanach são usadas no hebraico de Israel, mas esta não é uma delas… abraço!

  • Gerry Coen

    30/03/2014 at 16:02

    Muito bom texto, cheio de informações e relações sobre o hebraico, as letras, o uso, expressões bíblicas, expressões talmúdicas. Como diz Amos Oz, somos o povo do texto.

  • Marc Abelha

    30/03/2014 at 16:25

    Uma vez li numa repartição pública e fiquei chocado, até entender o real significado:

    להיזדיין בסבלנות

    Rí muito da minha ignorância, depois.

Você é humano? *